Correção da tabela do IRPF reduz parte das perdas da classe trabalhadora

19/12/2014

A correção da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF), em 6,5%, aprovada nesta quarta-feira (17) no Senado, corrige parte da perda histórica de 61,42% acumulada na atual tabela, e beneficia principalmente os trabalhadores assalariados.

Esta é a avaliação do presidente da CUT, Vagner Freitas, para quem a não correção da tabela penaliza o trabalhador duas vezes. Isto porque, além de ser tributado no salário, que não é renda, ressalta o dirigente, os trabalhadores são penalizados pela tributação indireta no consumo.

Para Vagner, a correção da tabela é importante e essencial para melhorar o poder de compra dos/as trabalhadores/as, mas não basta diminuir o impacto do imposto de renda nos salários.

“O Brasil precisa fazer uma reforma tributária para acabar com a injustiça tributária no País. É preciso aumentar a progressividade da tabela, por meio de um número maior de faixas. Quem ganha mais, tem de  pagar mais”, pontua Vagner.

“É preciso, ainda, que os lucros, ganhos de dividendo e herança sejam tributados, coisa que não acontece no Brasil”. 


Veja também

Confraternização do SINTTEL-SE  fecha o ano de luta e harmonia junto a filiados

Confraternização do SINTTEL-SE fecha o ano de luta e harmonia junto a filiados

08/01/2017 - Para marcar a passagem de um ano de muitas lutas, reivindicações e obstáculos para os trabalhadores e trabalhadoras em Telecomunicações de S...

Atleta patrocinada pelo SINTTEL-SE é campeã Sulamericana

Atleta patrocinada pelo SINTTEL-SE é campeã Sulamericana

05/09/2016 - A karateca PATROCINADA PELO SINTTEL-SE Livia Alves Morais , consagrou-se Campeão Sulamericana na Cidade de Cartagena de Indias na ...

Negociação emperrada! Empresa não está nem aí para a valorização dos trabalhadores!

Negociação emperrada! Empresa não está nem aí para a valorização dos trabalhadores!

09/08/2018 - No início deste ano realizamos Assembleia Geral e entregamos oficialmente a Pauta de Reivindicações aprovada pelos trabalhadores. De lá para...