Metodologia/Público

Analisando o direito em questão e a forma como é tratado na mídia, os participantes aprofundarão seu conhecimento em direitos humanos e sua reflexão sobre o próprio papel da comunicação na educação em direitos humanos. O foco do trabalho são os direitos humanos de crianças e adolescentes, negras e negros, mulheres, população LGBT, idosos e pessoas com deficiência, incluindo a questão da acessibilidade aos meios de comunicação. De forma transversal, também será abordado o direito à comunicação, o acesso à informação e a liberdade de expressão, passando pela conjuntura da economia política da comunicação e seu cenário atual.

O material didático trará ainda uma série de temas relacionados à história e aos fundamentos dos direitos humanos, legislação internacional, mecanismos de proteção e órgãos de defesa, que serão trabalhados ao longo do ciclo de formação, complementando a capacitação requerida.

Trata-se de uma prática inovadora em relação à temática Educação em Direitos Humanos, que parte da análise coletiva de casos concretos, presentes no cotidiano da população através da mídia, para aprofundar o conhecimento e compreensão de uma realidade complexa, visando à formação de sujeitos de direitos que possam multiplicar essa nova cultura.

Dentre as lideranças e comunicadores comunitários, o público será diverso, podendo atuar em diferentes áreas relacionadas à luta por direitos. O ciclo de formação buscará, no entanto, trabalhar com participantes com um olhar crítico em relação ao tema e um potencial de multiplicação, incentivando denúncias de violações e a exigibilidade dos direitos humanos em diferentes espaços, incluindo os meios de comunicação. Daí a abertura para o ingresso de representantes de mídias comunitárias, que podem ser apropriadas por setores populares como instrumentos de educação em direitos humanos, alcançando populações muitas vezes excluídas dos meios tradicionais.

Desta forma, serão formadas direta e indiretamente 750 lideranças e comunicadores em educação em direitos humanos, em 5 estados do país. Além disso, com a atuação dos comunicadores comunitários, serão sensibilizadas 15 comunidades para a promoção e defesa dos direitos humanos.

Respondendo ainda ao PNDH-3, será elaborado um material com sugestões aos meios de comunicação de massa. Através do Guia Mídia e Direitos Humanos - construído ao longo do ciclo de formação, a partir dos debates com os participantes -, ao menos 50 jornalistas e profissionais de mídia serão sensibilizados para a importância da comunicação para a promoção e garantia dos direitos humanos.

A publicação será lançada num seminário nacional em Brasília, para 300 representantes do poder público e organizações da sociedade civil e transmitido ao vivo pela internet, onde os principais resultados do ciclo de formação serão compartilhados, sensibilizando novos e diferentes setores.

ImprimirE-mail