Participantes avaliam positivamente as oficinas

18/12/2013

No último domingo (15), na cidade de Fortaleza, foi encerrada a série de oficinas do Ciclo de Formação Mídia e Educação em Direitos Humanos. Nessa etapa, além da capital cearense, o projeto proporcionou nas cidades de Brasília, Curitiba, Salvador e São Paulo, o debate e a reflexão sobre temas relativos ao direito à comunicação, liberdade de expressão e direitos humanos de mulheres, de negros e negras, da população LGBT, de crianças e adolescentes, das pessoas com deficiência e da população idosa.

A integrante da Associação Viva e Deixe Viver, Maysa Ribeiro, que participou das oficinas na cidade de São Paulo afirma que o Ciclo lhe possibilitou novos olhares sobre os direitos humanos, mostrando-a que estes “vêm das lutas, dos diálogos e mudam durante e, ao mesmo tempo, fazem a história”.

O estudante de Serviço Social e militante do movimento LGBT, Pedro Henrique Almeida Bezerra, foi um dos participantes das oficinas em Fortaleza. Para ele, a experiência do Ciclo teve “um valor inestimável, onde pude ampliar o meu debate sobre a relação mídia e direitos humanos e a possibilidade de acúmulo teórico a respeito do tema”. Ainda segundo Bezerra, os conteúdos trabalhados nas oficinas contribuirão para que a sua entidade representativa, a Executiva Nacional de Estudantes de Serviço Social – ENESSO, incorpore a necessidade do debate sobre a democratização dos meios de comunicação.

Já a jornalista e membro da Associação Vida Brasil, Bruna Hercog, que esteve presente às oficinas em Salvador, destacou positivamente a metodologia do Ciclo de formação. “Foi um espaço de intercâmbio muito interessante, pois as trocas se deram tanto entre palestrantes e participantes quanto entre os próprios participantes. Foi um processo dialógico e democrático de construção do conhecimento que certamente irá contribuir para minha militância e para os trabalhos que desenvolvo junto a organizações não governamentais", ressaltou.

Além do debate, durante as oficinas os participantes sugeriram uma série de propostas para orientar a atuação de jornalistas em pautas relativas aos direitos humanos. Após revisadas e sistematizadas, as propostas irão compor um Guia que será distribuído em veículos de comunicação de todo o país.

O lançamento do Guia acontecerá durante um Seminário Nacional, previsto para ser realizado entre março e abril, que contará com a participação de representantes das oficinas nas cinco cidades, especialistas, militantes e profissionais da área da mídia e dos direitos humanos.


Veja também

PEC das domésticas aprovada no Senado mantém desigualdade

PEC das domésticas aprovada no Senado mantém desigualdade

09/05/2015 - Para Contracs e Federação das Domésticas, aprovação mantém categoria com direitos diferentes dos demais trabalhadores Após dois anos de e...

Almaviva obrigada a regularizar sistema de ponto eletrônico

Almaviva obrigada a regularizar sistema de ponto eletrônico

08/04/2016 - 14:24 Facebook Twitter Em ação ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), a Justiça do Trabalho determinou q...

SINTTEL-SE  participa de Audiência pública sobre terceirização  na ALESE

SINTTEL-SE participa de Audiência pública sobre terceirização na ALESE

26/02/2016 - Na última quinta-feira (25/2) representantes do SINTTEL-SE estiveram presentes na Assembleia Legislativa de Sergipe para participar de uma a...

Veja os melhores momentos do XIII Forró do SINTTEL-SE

Veja os melhores momentos do XIII Forró do SINTTEL-SE

19/06/2017 - No mês de junho os trabalhadores em Telecomunicações em Sergipe deram um show de união e harmonia no XIII Forró do SINTTEL. A tradicion...